segunda-feira, Novembro 06, 2006

Enfermeiros veterinários - Concorrentes ou auxiliares?


Os cursos de enfermagem veterinária multiplicam-se como cogumelos. Será que vamos ter auxiliares ou concorrentes ?
Vejam o que descobri sobre o novo curso da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo
“Os alunos adquirirão neste curso de licenciatura os conhecimentos teóricos e práticos sobre a anatomia e fisiologia dos diferentes animais domésticos, assim como sobre os quadros patológicos de naturezas diversas (infecciosas, parasitárias, etc.) permitindo que estes profissionais estejam aptos a assistir o médico veterinário nas mais variadas situações clínicas. A sua formação prática permitir-lhes-á, em particular, realizar distintas análises e provas laboratoriais e utilizar os principais equipamentos auxiliares de diagnóstico. Terão conhecimentos profundos sobre anestesiologia e técnica operatória, o que lhes permite assistir a intervenções cirúrgicas. Estarão ainda apto a fazer a administração de medicamentos prescritos pelo veterinário e a efectuar todo o tipo de cuidados clínicos e profilácticos em animais de companhia e espécies pecuárias. Por outro lado, os conhecimentos práticos na área da inspecção sanitária, classificação das carnes e das carcaças, e da tecnologia de transformação dos produtos animais conferem uma maior polivalência a este licenciado, permitindo-lhe executar funções na área do controlo da qualidade alimentar, em particular nomeadamente na área da Inspecção Sanitária. A relação entre o enfermeiro veterinário, o paciente e o cliente, numa abordagem psicológica e social, será particularmente estudada, juntamente com conhecimentos no domínio das novas tecnologias da informação, da legislação e fiscalidade e da contabilidade, indispensáveis para o desempenho da actividade profissional no sector privado. Com a organização curricular presente, o Enfermeiro Veterinário poderá desenvolver a sua actividade profissional, numa perspectiva dirigida para a prestação de cuidados clínicos, em Centros de Atendimento Veterinário (consultórios, clínicas e hospitais); Explorações agrícolas com actividade na produção pecuária; Agrupamentos de Defesa Sanitária / Organizações de Produtores Pecuários e Associações de Protecção e Defesa de Animais. Na área da Higiene Veterinária, poderá desenvolver as suas capacidades em organismos do estado responsáveis pela inspecção sanitária (em matadouros e lotas, salas de desmancha) e controlo da qualidade alimentar (Agência para a Qualidade e Segurança Alimentar, Inspecção Geral das Actividades Económicas, controlo aduaneiro, etc.); empresas do ramo agro-alimentar (indústrias de salsicharia, queijarias, centrais leiteiras, etc.); empresas de distribuição alimentar. Estes alunos poderão, igualmente desenvolver a sua actividade em organismos públicos nacionais como o Ministério da Agricultura (Direcção Geral de Veterinária, Direcções Regionais da Agricultura, Zonas Agrárias, etc.) ou locais (Municípios) e nas Organizações e Associações de Produtores e de Criadores; A nível europeu a Enfermagem Veterinária é um curso superior em muitos países, como Noruega, Dinamarca, Suécia, Finlândia, Alemanha, Grã-Bretanha, pelo que a actual formatação do curso permitirá uma grande mobilidade no mercado de trabalho do espaço dos países subscritores da Declaração de Bolonha. A Licenciatura em Enfermagem Veterinária é uma nova valência que surge como resposta a necessidades de sociedades mais desenvolvidas e eticamente mais preocupadas, quer europeias quer americanas, e que se inicia em Portugal, com grande interesse de diferentes sectores e agentes sociais, económicos e culturais da sociedade.”
Fiquem atentos!

16 Comments:

Blogger metamorfose said...

eu como estudante de enfermagem veterinária (na ESAPL) não vejo que os conhecimentos de enfermagem veterinária sejam de forma alguma para prejudicar o médico veterinário mas sim ajuda lo em diferentes tarefas.

6:45 da tarde  
Blogger Raquel said...

Estou completamente de acordo, com o comentario de resposta ao assunto tratado neste blog. Para o ano, vou tentar entrar neste curso, pois este ano, decidi, tarde demais.
No entanto, sei que, so existe em Viseu e Castelo Branco. Será que alguem sabe, se irá abrir para o ano em Lisboa?
Fico à espera da resposta.
Obrigada

2:15 da tarde  
Blogger Eugenio Fernandes said...

Dra. a diferença entre medicina vet e enfermagem vet é grande, em tempo de estudo, estágio e conhecimentos como é obvio. A menos que os vet não tenham vocação e conhecimento nenhum enfº por melhor que seja, terá o conhecimento aprofundado do vet. Verifique através da net o caso de veterinary nurse no UK e verificará que não são concorrentes dos veterinários, aliás são reconhecidos enfº pelos veterinários. O medo da concorrencia é normal em qualquer profissão. Até aqui só a medicina humana parecia ser de extrema importancia, hoje, o veterinário é reconhecidamente de extrema importancia e em muitos casos único
capaz de travar doenças e epidemias, mas, no entanto, ainda não ganham como um médico de medicina humana. Os tempos estão a mudar e para tal, voces necessitarão de apoio profissional e com conhecimentos em quem posssam delegar funções e responsabilidade. Apoie o curso pois eles, enfº, apoiar-vos-ão em breve.
Obs, não sou estudante de enf nem de vet, sou decorador.

10:10 da tarde  
Blogger Eugenio Fernandes said...

bastonária da O dos Enfºs
li que a distinta licenciada está " aborrecida" com o titulo de Enfº veterinário aprovado pelos orgãos competentes e, pasme-se, escreveu para algures a reclamar ou a sugerir a mudança do nome de Enfº por técnico ou auxiliar de veterinário
deveria então ser:
Auxiliar técnico de médico vetrinário?
Médico?? não! se o auxiliar não pode ser chamado de enfº veterinário o veterinário não pode ser chamado de médico...
Desta forma exceptuando-se os técnicos de saúde humana (técnicos ??) que raio! quem é afinal técnico e médico ou enfermeiro?
Esqueceu-se ou desconhece a bastonária que o médico veterinário estuda tanto ou mais que o médico humano? E que a licenciatura em enfagem humana requer mais conhecimentos cientificos do que algumas das enfermeiras ( mais antigas) da Ordem tiveram? A medicina e a enfermagem tratam da saúde e, é tudo.

10:27 da tarde  
Blogger Inês said...

Como a 1ª enfermeira veterinária a sair para o mercado de trabalho, tenho a dizer que os enfermeiros veterinários não são concorrentes de nenhuma classe, muito pelo contrário... pela pouca experiência que tive ainda como enfermeira veteinária senti sempre que a minha presença e os meus conhecimentos foram sempre uma mais valia para uma clinica veterinaria para preservar s sua boa imagem e para o seu bom funcionamento. Tenho ainda a dizer que não somos meros auxiliares ou empregados, como muitas vezes fui chamada. Somos Enfermeiros Veterinários porque conquistámos este título tal como vós Médicos Veterinários, estudando e pagando propinas.

3:36 da manhã  
Blogger Shanti said...

eu sou estudante de Enfermagem Veterinária em Viseu,e sinceramente não concordo com o facto de dizerem que viemos para "roubar" o lugar so Medicos Veterinários. Não, claro k não! todos deste curso, se estão cá é pk não conseguiram entrar em MV, mas o objectivo maior é tratar dos animais e por isso que se dedicam ao curso, para poderem ser competentes nesta area.
compreendo que ainda não aceitem bem o facto de sermos titulados de "enfermeiros Veterinários", mas têm começar aceitar pk nós trabalhamos para isso e não somos diferentes de nenhum curso!

9:50 da tarde  
Blogger luis said...

Este comentário foi removido pelo autor.

5:27 da tarde  
Blogger luis said...

Este comentário foi removido pelo autor.

5:28 da tarde  
Blogger luis said...

Como Eng. Zootécnico afirmo que é clara a necessidade de técnicos competentes no auxílo aos médicos veterinarios quer em situações de clínica ou no campo, à semelhança da relação de médico/enfermeiro no que toca à medicina humana. Quando esses técnicos se auto-denominam de enfermeiros veterinários serão essas a competências que devem exercer, sendo que não vejo nenhum conflito com os médicos veterinários. Mas quando os denominados Enfermerios Veterinários, têm nos seus perfis e filosofias de curso, qualquer coisa do tipo "técnico de produção animal; técnico de nutrição animal em empresas de alimentos para grandes e pequenos animais; processamento de matérias-primas e produção de alimentos de origem animal", algo está mal na auto-denominação de Enfermeiros Veterinários. Olhando para um currículo de qualquer escola, acho um falta de respeito pelos verdadeiros técnicos de produção animal, quando no currículo de EV apenas consta uma cadeira semestral de produção animal. Não vejo um engenheiro zootécnio a assumir-se como economista por ter tido uma cadeira de economia ou matemático por ter tido duas analíses matemáticas e uma algebra. Assim de certo que se cada um fizer aquilo que está nas suas competências nenhum mal virá para nenhuma classe, bem como as melhorias no sector agrícola do nosso país sera notórias.

5:43 da tarde  
Blogger Sexmachine said...

Meus caros amigos se é verdade que os Enfermeiros Veterinários nunca irão substituir os Médicos Veterinários, visto não esta profissão ainda não estar ainda descrida na base de dados do instituto de emprego e formação profissional, já o facto de que todos os alunos de Enfermagem Veterinária de Viseu serem alunos que queriam entrar em Medicina Veterinária não é verdade minha cara Shanti. Eu sou à cinco anos aluno do curso da referida escola e sei que isso não é verdade e quanto aos comentários da sra bastonária da ordem dos enfermeiros é obvio que não sabe o que diz quando afirma que não podemos ser chamados de enfermeiros. É óbvio que a nossa profissão tem de ter a designação de enfermagem porque dentro de uma clinica executados as mesmas tarefas do que um enfermeiro num hospital. Quanto à parte de sermos concorrentes dos veterinários é falso porque nunca nós enfermeiros poderemos executar as mesmas tarefas que um médico porque simplesmente não temos formação para isso. Na área da sanidade também não iremos ocupar o lugar deles nem dos eng. Zootécnicos, visto que a lei não o permite e mais uma vez a nossa formação não o permite embora tenhamos algumas disciplinas que nos dão algumas noções nessas áreas. E concordo com o eugénio quando ele diz que se nós temos de mudar o nome da nossa profissão os veterinários também perderiam o titulto de médico. Médico e enfermeiro dizem respeito à saúde quer seja humana quer seja animal.

4:04 da tarde  
Blogger Joana said...

Boa tarde!Alguem me pode dizer onde me posso informar sobre a forma de exercer Enfª veterinária no estrangeiro?

5:15 da tarde  
Blogger Clínica Veterinária das Oliveiras said...

Cara Colega,

Como Médica Veterinária devo dizer considero o papel do Enfermeiro Veterinário uma mais valia na prestação de serviços vocacionados para o atendimento médico-veterinário.
Não considero de todo que o seu papel seja sobreponível, quanto menos incompatível com o papel do Médico Veterinário... Antes pelo contrário, reconheço uma total complementariedade entre os dois papeis. Muita pena tenho que em termos de Enfermagem Veterinária só agora estejamos a criar espaço para esta nova dimensão. Se todos estiverem cientes das suas competências e seguros das suas capacidades, julgo que esta parceria só enriquece o nosso trabalho.

Cátia Sá,
DVM, CCRP

6:04 da tarde  
Blogger quintanilha said...

Luiz,Haverá sempre concorrência se o veterinário for muito ruim,porque os bons profissionais vão sempre querer um bom enfermeiro ao seu lado,eu nunca fiz curso de enfermagem, tudo que aprendi foi com bons profissionais. com os mais ou menos não trabalhei, e com os ruins eu ensinei,palpação em éguas para controle folicular, coleta de semem, diluição,IA,e palpação após 18 dias para prenhês.Alèm de vulvoplastia,orquiectomia com equino em pé,exame de fézes,sonda naso esôfágica entre outros.

4:19 da manhã  
Blogger carla ramos said...

Boa noite
para Esclarecer o curso de enfermagem veterinária não existe só em Viseu e castelo branco. Este curso foi pioneiro em Elvas e existe também em Bragança e Ponte de lima. Em lisboa penso que não deve de abrir.

12:17 da manhã  
Blogger Inês Lameira said...

Sou enfermeira veterinária e acho incrivel como é que este texto foi escrito, nos dias de hoje. Até agora estou incrédula e nem sei bem por onde começar a comentar.
1º a Drª não deveria sentir a sua profissão ameaçada pela minha pois, são duas profissões distintas. Inter-relacionadas sim, mas distintas.
Nós enf.vet não estamos habilitados a dar consultas nem a realizar diagnósticos. Logo aí há uma grande diferença. Não existimos para substituir o médico veterinário, mas sim para o auxiliar, em especial na parte prática do dia-a-dia na clínica/hospital.
Temos estudos no que diz respeito à anatomia animal, às patologias, aos fármacos, aos diversos exames e a todas as outras matérias referidas no texto, mas isso deveria ser visto pelos médicos veterinários como uma mais valia, pois não somos meros robôs a quem dão ordens de tarefas a realizar, nós compreendemos e sabemos como agir face a diversas situações clínicas. Com certeza a Drª gosta de ter alguém de confiança a trabalhar a seu lado, então porque não ser alguém com estudos na área? Pense nisso.
Felizmente já são muitos os médicos veterinários que compreendem a nossa profissão. Um bem haja a todos!

12:28 da manhã  
Blogger ..@dri.. said...

Quem acha que qualquer nivel da enfermagem,veterinária ou não,pode ser concorrente para os médicos,não sabe nada sobre a enfermagem.
Enfermagem também não é auxiliar de médico,estamos na área da saúde, mas são duas profissões diferentes,que tem como objetivo promover a saúde.

7:40 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home